segunda-feira, novembro 30
Home>>Terrorismo>>Abu Bakr al-Baghdadi foi eliminado!
Terrorismo

Abu Bakr al-Baghdadi foi eliminado!


Notice: Undefined index: margin_above in /home/noticiasdesiao/public_html/wp-content/plugins/ultimate-social-media-icons/libs/controllers/sfsiocns_OnPosts.php on line 439

Notice: Undefined index: margin_below in /home/noticiasdesiao/public_html/wp-content/plugins/ultimate-social-media-icons/libs/controllers/sfsiocns_OnPosts.php on line 440

Iniciamos esta segunda-feira com um facínora a menos no mundo. Forças especiais dos EUA eliminaram Abu Bakr al-Baghdadi, o Osama bin Laden do Século XXI.

O presidente Donald Trump anunciou a morte de Abu Bakr al-Baghdadi, chefe do grupo terrorista Estado Islâmico, ISIS na sigla inglesa e Daesh, no idioma árabe.

“Ontem à noite [sábado], os Estados Unidos levaram o líder terrorista nº 1 do mundo à justiça. Abu Bakr al-Baghdadi está morto. Ele foi o fundador e líder do ISIS, a organização terrorista mais cruel e violenta do mundo.”

“Os Estados Unidos caçavam Baghdadi há muitos anos. Capturar ou matar Baghdadi foi a principal prioridade em relação à segurança nacional nesta minha minha administração.”

Trump disse que os EUA não sofreram baixas na operação, enquanto um grande número de combatentes do ISIS foi morto junto com o líder do grupo terrorista.

Abu Bakr al-Baghdadi morreu depois de ter fugido por um túnel sem saída. Segundo os militares que empreenderam a operação, ao perceber que estava, literalmente, num beco sem saída, Abu Bakr al-Baghdadi começou a correr “gritando e chorando”.

Ao notar que não havia saída, Abu Bakr al-Baghdadi detonou o colete de explosivos que vestia, cometendo suicídio. Ao seu lado estava três crianças, ao que tudo indica, filho do terrorista. As três morreram junto ao pai.

Ao fazer a varredura do local onde Abu Bakr al-Baghdadi se encontrava, as tropas dos EUA resgataram, ilesas, 11 outras crianças. O Estado Islâmico tem a grotesca prática de manter crianças presas, crianças que são usadas para “diversão” dos soldados ou de escudo humano.

Descrevendo a operação, Donald Trump disse: “[Abu Bakr al-Baghdadi] chegou ao fim do túnel, enquanto os cães o perseguiam. Ele detonou o colete, matando a si mesmo e aos três filhos. Seu corpo foi mutilado pela explosão e o túnel desabou sobre ele. Os resultados dos testes deram a identificação como certa, imediata e totalmente positiva. Era ele. O bandido que se esforçou tanto para intimidar os outros passou os últimos momentos de vida tomado pelo medo, em total pânico e pavor, aterrorizado com as forças americanas que o atacavam.”

Trump disse ainda que as forças norte-americanas permaneceram 2 horas no complexo onde recolheram material e informações altamente sensíveis para o planejamento de futuras ações do Estado Islâmico.

“A morte de Baghdadi demonstra a busca incansável da América por líderes terroristas e nosso compromisso com a derrota duradoura e total do ISIS e de outras organizações terroristas” afirmou o presidente americano, acrescentando que os EUA continuarão a perseguir os demais terroristas do ISIS até que o grupo seja definitivamente destruído. E concluiu: “Abu Bakr al-Baghdadi morreu como um cachorro. O mundo hoje é um lugar mais seguro.”

O nome original de Abu Bakr al-Baghdadi era Ibrahim Awwad Ibrahim Ali al-Badri al-Samarrai. Nascido há 48 anos, em Samarra, Iraque, Abu Bakr al-Baghdadi afirmava ser descendente direto do “profeta” (sic) Maomé. Fundou o grupo terrorista Estado Islâmico do qual se autointitulava Califa, que é, dentro da cultura árabe, um chefe de estado e monarca teocrático absoluto.

Abu Bakr al-Baghdadi tinha bacharelado em estudos islâmicos e mestrado e Phd em estudos do Alcorão, todos pela Universidade Islâmica de Bagdá.

Definitivamente comprovado: Quanto mais um muçulmano se aprofunda no estudo do Alcorão e mais fiel se torna à tal “religião de paz”, mais radical ele se torna.

A ação que levou os EUA a por fim a vida de um dos maiores facínoras da história da humanidade, contou com informações estratégicas e ajuda tática do Povo Curdo, tanto do Iraque quanto da Síria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *