segunda-feira, novembro 30
Home>>Uncategorized>>Israel ajuda chineses a enfrentar o coronavírus
Uncategorized

Israel ajuda chineses a enfrentar o coronavírus


Notice: Undefined index: margin_above in /home/noticiasdesiao/public_html/wp-content/plugins/ultimate-social-media-icons/libs/controllers/sfsiocns_OnPosts.php on line 439

Notice: Undefined index: margin_below in /home/noticiasdesiao/public_html/wp-content/plugins/ultimate-social-media-icons/libs/controllers/sfsiocns_OnPosts.php on line 440

A imagem surpreendeu quem assistiu a cena. Um rabino, acompanhado pelo filho, a distribuir máscaras de proteção contra o coronavírus pelas ruas de Xangai. A distribuição aconteceu nas proximidades do Museu Judaico de Refugiados de Xangai e os beneficiados foram chineses idosos, a faixa mais vulnerável ao vírus.

As máscaras, entregues pelo rabino Shalom Greenberg a moradores da maior cidade chinesa, foram doadas pelo Magen David Adom, a correspondente israelense da Cruz Vermelha, e fazem parte de uma ajuda humanitária que envolve ainda luvas e roupas especiais para enfrentamento de um surto que até a manhã desta quinta-feira, 06, já havia infectado 28.018 pessoas e causado 563 mortes.

A contribuição do Magen David Adom envolveu o envio desde Israel de 2.000 máscaras e 200 kits de proteção completa para ajudar a impedir a propagação do coronavírus na China. A comunidade judaica residente na China acrescentou mais 8.000 máscaras à doação que foi distribuída junto aos moradores da área histórica de Hongkou, que ficou conhecida durante a Segunda Guerra Mundial como o “Gueto Judeu”.

Os kits, máscaras, óculos, sapatos e roupas especiais, foram distribuídos em 14 filiais de uma organização religiosa judaica.

O socorro à China não se restringiu ao Magen David Adom, a organização de ajuda humanitária IsraAID também enviou uma remessa de suprimentos médicos de emergência e equipamentos de proteção ao Ministério da Saúde da China numa operação conjunta com a Câmara de Comércio Israel-China.

Yotam Polizer, diretor da IsraAID, informou que a sua organização “continuará monitorando a situação e poderá dar um apoio complementar” se necessário. Este apoio, acrescentou Polizer, envolve ajudas na área da Saúde Mental e Psicossocial, para os profissionais envolvidos no combate ao vírus, “com o objetivo de aliviar o estresse das equipes médicas”.

Tradicionalmente, Israel sempre contribui com países que passam por crises humanitárias, sejam eles países amigos ou não. A preocupação israelense com a atual crise do coronavírus não se restringe, no entanto, à distribuição de material preventivo no país de origem, à nível doméstico, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu instruiu o Instituto Biológico e o Ministério da Saúde a trabalhar na produção de uma vacina e a estabelecer uma rede de vacinação em todo Estado de Israel.

É Israel, uma vez mais, pondo em prática a já conhecida Ética Judaica.

Judeu distribuindo máscaras no centro de Xangai
Menino judeu entrega kit de proteção a um policial chinês
Monumento em frente ao Museu Judaico dos Refugiados de Xangai, local da entrega dos kits israelenses, retrata judeus perseguidos durante a Segunda Gurerra Mundial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *