sábado, julho 4
Home>>Desinformação>>Árabes desesperados pedem proteção da polícia israelense
Desinformação

Árabes desesperados pedem proteção da polícia israelense

Três homens foram assassinados na manhã deste sábado, 06, em Lod, região central de Israel. Todos eram árabes, moradores da cidade de Ramle.

A polícia israelense foi alertada para distúrbios envolvendo troca de tiros num cruzamento de rodovias próximo à cidade de Lod. Ao chegar ao local, as autoridades encontraram os corpos de 3 homens, dois com ferimentos à bala e o terceiro, morto por atropelamento.

Os mortos foram identificados como sendo Nahad al-Shamali, 28, Riad Akashi, 40, e Jibril Akashi, 28. As investigações iniciais indicam que os homens foram atingidos por um veículo em movimento e logo a seguir, executados. Foi descartada a possibilidade de se tratar de uma ação terrorista.

A polícia israelense está investigando se o tiroteio está relacionado a uma disputa entre famílias criminosas no bairro de Jawarish, em Ramle.

Dois dos homens não tinham antecedentes criminais, enquanto o terceiro era parente de um morador de Ramle que foi assassinado em março na cidade costeira de Netanya, informa a imprensa local.

No Twitter, uma postagem, em hebraico, chama a atenção: “O chocante assassinato em Lod expõe novamente o fracasso das autoridades policiais em lidar com crimes e com a violência na sociedade árabe.”

A postagem foi feita pelo advogado Yousef Jabareen, um árabe, eleito para o Parlamento Israelense através do Partido Lista Conjunta, um partido de maioria árabe.

Embora o Sr. Yousef Jabareen seja representante da comunidade árabe, ele critica a tibieza da polícia israelense. Para Jabareen, a polícia judaica deve ser mais dura… com os árabes!

Na sequência do tweet, escrito propositadamente em hebraico e não em árabe, ou seja, o recado está voltado para os judeus e não para os eleitores árabes, Jabareen escreveu: “Os criminosos sentem que são livres para agir, desde que as vítimas sejam árabes. Chegou a hora de acabar com a ‘autonomia’ que permitiu que elementos criminosos aterrorizassem a sociedade árabe por anos.”

Ao lado da delegacia de Ramle, uma mulher árabe protesta, pedindo uma ação mais forte da polícia israelense.

Nos últimos anos, houve um aumento de mortes e crimes com armas na comunidade árabe israelense. Esta violência inclui disputas familiares, guerras entre grupos mafiosos, violência doméstica e os chamados assassinatos de honra, uma prática comum entre árabes radicais.

Cansados de ver crescer a violência de árabes contra árabes, a sociedade árabe israelense exige que a polícia judaica seja mais dura com o seu próprio povo. O desafio é saber como reagirá a opinião pública mundial, influenciada por uma mídia antissemita, quando a polícia de Israel começar a agir.  

ANDS | TOI | HAARETZ

UM PEDIDO ESPECIAL: Há 10 anos o NOTÍCIAS DE SIÃO vem disponibilizando informações fidedignas sobre o Estado de Israel e sobre o seu povo. Numa época em que a grande imprensa e as mídias sociais veiculam informações contraditórias e, muitas vezes, completamente falsas, NOTÍCIAS DE SIÃO tem primado por apresentar aos seus leitores fatos reais sobre a Terra Santa. Como a redação do NOTÍCIAS DE SIÃO se encontra na Europa, estamos a enfrentar dificuldades com a crescente desvalorização da moeda brasileira, razão pela qual apelamos aos nossos leitores que possam nos ajudar a manter este trabalho na atual formatação, sem publicidades, pois nossa melhor publicidade são os nossos leitores. Por isso, contamos com vossa solidariedade e apoio, através de doações que podem ser feitas através do PayPal. É seguro e não tomará muito do seu tempo. Basta clicar no link abaixo. Faça uma doação única ou se torne um contribuinte mensal, para que possamos continuar a fazer com qualidade aquilo que já fazemos há 10 anos: Defender Israel. Contamos com sua generosidade e amor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *