terça-feira, maio 11
Home>>Arqueologia>>Sarcófagos de 1.800 anos descobertos em Ramat Gan
Arqueologia

Sarcófagos de 1.800 anos descobertos em Ramat Gan


Notice: Undefined index: margin_above in /home/noticiasdesiao/public_html/wp-content/plugins/ultimate-social-media-icons/libs/controllers/sfsiocns_OnPosts.php on line 439

Notice: Undefined index: margin_below in /home/noticiasdesiao/public_html/wp-content/plugins/ultimate-social-media-icons/libs/controllers/sfsiocns_OnPosts.php on line 440

Dois sarcófagos de 1.800 anos foram encontrados em Israel durante as obras de ampliação de um hospital veterinário. Os trabalhadores escavavam uma área arenosa do Ramat Gan Safari Park quando se depararam com os extraordinários artefatos.

Durante as escavações para construção dos alicerces da nova ala do hospital, Rami Tam, responsável pela setor onde ficam os animais originários da savana africana, observou parte dos sarcófagos sob a areia. Tam contactou imediatamente o seu superior, Shmulik Yedvab, que é diretor de saúde e gestão animal no parque, e este, por sua vez, entrou em contato com Alon Klein e Uzi Rothstein, da Unidade de Prevenção de Roubos da Autoridade de Antiguidades de Israel.

Imediatamente, os especialistas se deslocaram para Ramat Gan, que fica ao sul de Tel Aviv, e constataram a importância da descoberta.

Num primeiro momento, os arqueólogos da Autoridade de Antiguidades de Israel informaram que, com base nas pedras e na decoração ornamentada do sarcófago, supõe-se que as urnas foram destinados a pessoas de alto status que residiam na região onde hoje se encontra o Safari Park.

Os sarcófagos são ornamentados com símbolos em forma de discos – que simbolizavam proteção das almas após a morte – e guirlandas de flores, frequentemente usadas para decorar sarcófagos no período helenístico. Entre as guirlandas há símbolos ovais vazios, que os arqueólogos acreditam ter sido originalmente concebidos para serem preenchidos com os habituais alto-relevos com a imagem de cachos de uva. Por alguma razão desconhecida, o trabalho permaneceu inacabado.

Outra coisa que surpreendeu os arqueólogos, é que os caixões, embora feito de pedras locais, similares à pedras encontradas nas colinas da Judeia e Samaria, são réplicas perfeitas dos prestigiosos sarcófagos feitos de mármore proconnesiano da ilha turca de Mármara.

Encontrados juntos, os dois sarcófagos apresentam ornamentação idêntica e podem ter sido feitos para marido e mulher, ou para membros da mesma família. A procedência exata dos sarcófagos é desconhecida, mas eles provavelmente foram enterrados nesta região, onde hoje se encontra um importante cruzamento de estradas chamado Messubim e que no passado foi a região dos Bnei Brak, os “Filhos de Beraque”, citados em Josué 19.45.

Nesta terça-feira, 17, os sarcófagos foram transferidos para os repositórios do Tesouro Nacional de Israel.

ANDS | ARUTZ SHEVA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *