quinta-feira, setembro 23
Home>>Gaza>>A operação em Gaza continuará até que o terror seja derrotado
Gaza

A operação em Gaza continuará até que o terror seja derrotado

O primeiro-ministro de Israel Benjamin Netanyahu disse nesta quarta-feira, 19, que a operação antiterror que se encontra em curso na Faixa de Gaza irá até o fim. Netanyahu enfatizou que, independentemente da pressão internacional que exige um cessar-fogo com o Hamas, a Operação Guardião das Muralhas continuará.

Numa entrevista coletiva concedida a repórteres e diplomatas estrangeiros, Netanyahu disse que Israel não definiu um prazo para concluir a operação, enfatizando que os ataques continuarão até que Israel tenha alcançado todos os objetivos militares.

“Não paramos o cronômetro”, disse Netanyahu. “Queremos cumprir os objetivos desta operação.”

A entrevista aconteceu na tarde desta quarta-feira, na sede das Forças de Defesa de Israel em Tel Aviv. Netanyahu procurou deixar claro que Israel não tem intenção nenhuma de abreviar a operação a menos que esta atinja seus objetivos. E isso pode tomar tempo. O primeiro-ministro comparou a atual operação com outras ações realizadas anteriormente, quando Israel foi atacado pelo grupo terrorista Hamas.

Ao lado de Netanyahu estava Gabi Ashkenazi, ministro das Relações Exteriores. Para Ashkenazi, a comunidade internacional deveria garantir que a ajuda humanitária enviada para o enclave árabe, chegue de fato à população local, algo que não tem acontecido, pois o grupo terrorista Hamas desvia os recursos destinados à escolas, hospitais e infraestruturas, usando as doações na construção de túneis, plataformas de lançamento e rockets.

“Desta vez foi diferente”, afirmou Ashkenazi. “O Hamas iniciou a escalada atual com o objetivo de dominar a agenda e fortalecer a sua posição política junto à Autoridade Palestina. A comunidade internacional precisa garantir que a infraestrutura e a importação de materiais e dinheiro para a [Faixa de Gaza] cheguem à população de Gaza, e que o Hamas não tire proveito disso para os seus objetivos militares ”, concluiu o ministro.

ANDS | ARUTZ SHEVA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *