quinta-feira, setembro 23
Home>>Estados Unidos>>Biden reafirma que seu partido apoia Israel. E os Estados Unidos também.
Estados Unidos

Biden reafirma que seu partido apoia Israel. E os Estados Unidos também.

Biden diz que seu partido “ainda apoia Israel. A declaração vem depois que três representantes do Partido Democrata apresentaram projetos que visam barrar a venda de armas americanas para o Estado de Israel.

Antes disso, o senador Bernie Sanders e a deputada Alexandria Ocasio-Cortez, ambos do Partido Democrata, apresentaram 2 projetos com o objetivo de bloquear a venda de armas a Israel. A atitude dos dois políticos causou uma divisão entre os Democratas, pois há muitos entre eles que são pró-Israel.

Sanders e Ocasio-Cortez, fazem parte de uma ala dita “progressista” do Partido Democrata. Esta ala acusa Israel de ser o único responsável pelo conflito deflagrado no início de maio, quando terroristas árabes voltaram a atirar rockets de Gaza para Israel. Além de acusar Israel, este grupo democrata exige que os EUA interrompam toda a ajuda ao Estado judeu.

Como o Estado de Israel é um aliado importante na geopolítica mundial, o presidente Joe Biden assumiu a posição de defensor da aliança, dizendo, nesta sexta-feira, 21, que não houve mudança no compromisso do seu partido com a segurança de Israel.

Falando na Casa Branca um dia após o cessar-fogo, Joe Biden mimizou a ideia de que o conflito abriu uma rixa entre os democratas. “Meu partido ainda apoia Israel”, disse Biden categoricamente nesta entrevista conjunta com o presidente sul-coreano Moon Jae-in.

Na quinta-feira, o senador Bernie Sanders e os deputados Alexandria Ocasio-Cortez, Mark Pocan e Rashida Tlaib apresentaram duas resoluções separadas com o objetivo de bloquear uma venda de armamento para Israel, um acordo comercial já aprovado e que ronda a ordem dos 735 milhões de dólares.

Biden, cujo governo trabalhou nos bastidores por dias para chegar a uma trégua, disse que a ajuda à região será coordenada com a Autoridade Palestina – rival do Hamas na Judeia e Samara, apoiado pelo Ocidente – de modo a garantir que o Hamas não aproveite destes recursos para reabastecer o seu arsenal militar, fato que sempre acontece quando os auto denominados palestinos recebem ajuda internacional.

Joe Biden aproveitou para reforçar uma vez mais que os árabes de Gaza, da Judeia e da Samaria devem reconhecer o direito de existência de Israel: “Vamos esclarecer as coisas aqui: Até que a região diga inequivocamente que reconhece o direito de Israel de existir como um estado judeu independente, não haverá paz.”

Sobre Benjamin Netanyahu, Joe Biden disse acreditar que o líder israelense manterá o cessar-fogo. “Estou rezando para que o cessar-fogo seja mantido. Acredito em Bibi Netanyahu – ele me deu a sua palavra – e eu acredito na sua palavra. Ele nunca quebrou uma palavra comigo”, concluiu o presidente dos Estados Unidos.

Um detalhe lamentável. Os projetos contra o Estado de Israel foram apresentados por Bernie Sanders e Rashida Harbi Tlaib. Ela émuçulmana, ele judeu. E os projetos são criticados por Joe Biden, que é católico.

ANDS | YNETNEWS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *