Arqueologia

A alfabetização no Reino de Judá

Qual a percentagem de judeus alfabetizados que habitavam a Terra Santa, mais especificamente no Reino de Judá? Essa é a pergunta que pesquisadores da Universidade de Tel Aviv se propuseram a responder quando analisaram 18 textos antigos do posto militar de Tel Arad. Os resultados prévios das investigações foram divulgados nesta quarta-feira, 9, pela revista científica PLOS ONE, da Public Library of Science, de San Francisco, Califórnia. As informações foram extraídas de óstracos encontrados no sítio arqueológico de Tel Arad e datam de cerca de 600 aC. Segundo a PLOS ONE, “o exame de documentos forenses e a análise de escrita algorítmica de inscrições do período bíblico judaico revelam um nível significativo de alfabetização" dos povos que ali se encontravam. Os pesquisadores da Univers...

Ler mais
Arqueologia

Arqueólogos descobrem em Israel artefacto da época do Segundo Templo

Uma mesa de pedra, ricamente decorada, foi descoberta no sítio arqueológico de Khirbet Kefar Mur. Este sítio se encontra nas proximidades de Beit El, um enclave judaico no coração da Samaria, o território israelense que se encontra sobre temporário controle da Autoridade Palestina. Beit El e Khirbet Kefar Mur estão localizadas entre Ramallah e Nablus, exatamente numa região que é classificada como “Área C” e é controlada por Israel. A mesa de pedra representa uma descoberta rara, pois poucos materiais como este foram encontrados até agora na região. Das descobertas até agora feitas em Khirbet Kefar Mur, destacam-se restos de edifícios residenciais, banhos rituais, um moinho de óleo e muitos objetos de uso diário, como cerâmica e moedas. As escavações no sítio também revelaram ...

Ler mais
Arqueologia

Qumran é uma fonte inesgotável de surpresas

A Rede para o Estudo de Artefatos e Fontes de Arquivo de Cavernas Dispersas de Qumran, cuja sigla em inglês é DQCAAS, divulgou um comunicado dando conta de uma descoberta inusitada em relação aos Manuscritos do Mar Morto. Segundo a DQCAAS, um resíduo antigo, impregnado na tampa de um jarro, mostrou-se ser mais um fragmento de papiro. A tampa (imagem maior acima) foi encontrada no final da década de 1950 numa das cavernas de Qunram e foi posteriormente vendida para John Allegro, um estudioso dos manuscritos do Mar Morto. Desde que adquiriu o objeto em 1963, John Allegro pensava que o resíduo encravado na tampa fosse "esterco de morcego", mas como especialista em peças arqueológicas, ao longo de mais de 50 anos Allegro nunca o removeu (detalhe à esquerda da imagem acima). Agora, com a...

Ler mais
ArqueologiaHistóriaNotícias

“Arqueólogo” de 6 anos encontra moeda de 2.000

Pequenas descobertas são feitas por estas “arqueólogos amadores”, mas poucas se comparam com o que aconteceu nesta quinta-feira, 17, em Jerusalém. Em Israel, é comum ver jovens, adolescentes e até mesmo crianças participando de escavações arqueológicas. Normalmente, como parte das atividades extracurriculares dos alunos das escolas públicas. Binyamin Elkin, filho de Ze'ev Elkin, ministro dos Assuntos e Patrimônio de Jerusalém, descobriu uma moeda de 2.000 anos durante as escavações que estão a ser realizadas na cidade de David. A família do ministro Elkin participava de atividades organizadas pelo Ministério de Assuntos e Patrimônio de Jerusalém, sendo que um dos trabalhos era peneirar a terra retirada das escavações. "Eles derramaram a terra e eu comecei a separar os pedaços...

Ler mais
Arqueologia

A fantástica arqueologia israelense

O primeiro livro de Reis registra, no capítulo 21, uma história intrigante. Nabote, um agricultor de Jezreel, era dono de uma vinha. Jezreel era uma cidade estratégica, situada cerca de quarenta quilômetros ao norte de Samaria, a capital do reino de Israel. Além de ter uma boa propriedade, Nabote produzia seus vinhos num local privilegiado, pois sua vinha se encontrava exatamente ao lado da residência de verão do Rei Acabe, o rei de Israel. E esta proximidade despertou no rei um interesse em adquirir a propriedade. Não querendo impor seu poder real, Acabe apresentou uma proposta a Acabe. Ele não só compraria a vinha por um preço justo, mas também lhe cederia uma outra vinha, noutro local. Nabote explicou ao rei que não podia desfazer-se da vinha, pois se tratava de uma herança d...

Ler mais