DiplomaciaEstados UnidosHistória

Há 74 anos, os EUA reconheciam oficialmente o Estado de Israel

Dezenove dias após David Ben Gurion declarar a Independência de Israel, no dia 02 de junho de 1948, os Estados Unidos enviaram um memorando à ONU indicando a aceitação do novo Estado e a direção da futura política para o Oriente Médio. Na oportunidade, o representante dos EUA no Conselho de Segurança da ONU era o senador Warren Robinson Austin, e o responsável por redigir o memorando foi o seu vice, Philip Caryl Jessop, razão pela qual o documento ficou conhecido como o Memorando Jessop, que consistia apenas de três declarações básicas. E estas declarações foram as seguintes. escreveu o memorando. O memorando continha três suposições básicas sobre a primeira guerra árabe-israelense, que havia começado menos de três semanas antes. Essas suposições eram: 1. Israel existirá. Ao cont...

Ler mais
História

Notícias de Sião faz 12 anos

No dia 28 de Nissan de 5.770, nascia em Israel, na cidade de Hod Hasharon, o site NOTÍCIAS DE SIÃO. Iniciado no formato linear de blog, a página passou por diversas transformações ao longo dos anos, evoluindo de Blog Notícias de Sião, BNDS, para Agência Notícias de Sião, ANDS. A apresentação passou também por mudanças, fixando-se nos últimos anos no atual template. Respeitando a nossa característica sionista, optamos por comemorar o aniversário do site na data em que ele foi iniciado, no calendário judaico e não no calendário gregoriano. No calendário ocidental, o aniversário do site teria sido no último dia 12 de abril de 2022, mas no calendário judaico é exatamente hoje, 28 de Nissan de 5.782. A primeira postagem, pouco maior do que um tweet, foi modesta, trazia apenas um parágraf...

Ler mais
História

OS ESQUELETOS DOS COMBOIOS

Quando vocês estiverem se deslocando por Israel, dentro dos ônibus, esqueçam os celulares, esqueçam as conversas desnecessárias e… olhem pela janela. Nas viagens que fiz, entristeceu-me ver como muitas pessoas perdem cenas maravilhosas por priorizarem detalhes que poderiam ser observados depois, nos hotéis, na hora de se recolherem. É por isso que quero lhes deixar aqui uma dica: Enquanto estiverem andando por Israel, observem tudo, pois na Terra Santa a História, bíblica ou não, está por todos os lados. E para ilustrar isso, quero destacar uma das imagens que pode passar despercebida por quem está “subindo” para Jerusalém: Os famosos “Esqueletos dos Comboios”. A minha sugestão é que, ao subirem para Jerusalém, peçam ao guia para lhes avisar quando estiverem passando por um destes “esq...

Ler mais
História

Pequena aula de História sobre Jerusalém no Século XVI

Há quem argumente que o Estado de Israel só se tornou viável porque ao final da Segunda Guerra Mundial os americanos e a ONU implementaram uma política de povoamento judaico na então denominada Palestina. Segundo estas pessoas, muitas delas professores de História, a região era totalmente árabe até meados do Século XX, algo que não condiz com as fontes históricas, pois mesmo depois de os romanos terem trocado o nome de Israel para Palestina, os judeus nunca estiveram ausentes da Terra Santa. Tomem como exemplo o trecho desta carta, escrita por volta do ano 1521, por um judeu italiano que visitava Jerusalém. À família, que residia na Lombardia, o viajante escreveu: “Que bela são as tendas de Jacob em Jerusalém! Desde o amanhecer até ao entardecer e desde a meia-noite até às primeiras lu...

Ler mais
HistóriaTrump

Donald Trump e o bom doutrinamento dos professores

DONALD TRUMP ASSINA A LEI NUNCA MAIS PARA A EDUCAÇÃO Em artigo publicado no The Washington Post do dia 16 de abril de 2015, James B. Comey, diretor do FBI, explicou as razões pelas quais todos os novos agentes especiais do FBI são obrigados a visitar o Museu Memorial do Holocausto dos Estados Unidos, USHMM na sigla em inglês. Após a formação e admissão nos quadros do FBI, a famosa unidade de polícia do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, e antes de receber distintivo e arma, todos os novos agentes e os novos analistas de inteligência, devem percorrer os corredores do museu. James B. Comey explica as razões. “O Holocausto foi a exibição mais horrível da história mundial da desumanidade. Mas foi também a exibição mais horrível da história mundial da nossa humanidade, da nos...

Ler mais